Coleções

Cientistas desenvolvem anticorpos que podem estimular o corpo a se reparar

Cientistas desenvolvem anticorpos que podem estimular o corpo a se reparar


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

A autocura não é apenas um domínio da indústria de computadores, ela também está sendo desenvolvida para o corpo humano.

Cientistas da Universidade de Toronto, em colaboração com o Toronto Recombinant Antibody Centre, desenvolveram anticorpos que no futuro poderiam ser usados ​​para estimular o tecido do corpo a se auto-regenerar.

RELACIONADO: OS CIENTISTAS CRIAM PELE ELETRÔNICA ALICENTE E AUTO-CURADORA INSPIRADA PELA GELÉIA

Trabalho fruto de dez anos de colaborações

A pesquisa, publicada em eLife, é o resultado de dez anos de trabalho entre equipes de cientistas lideradas por Sachdev Sidhu, professor do Centro Donnelly para Pesquisa Celular e Biomolecular, e Stephane Angers, Reitor Associado de Pesquisa da Faculdade de Farmácia Leslie Dan.

"Estamos desenvolvendo novas moléculas que nunca foram vistas antes e cujo potencial para a medicina regenerativa é enorme", disse Sidhu em um comunicado à imprensa destacando o trabalho. "Capitalizando o ímpeto da pesquisa com células-tronco e medicina regenerativa que já existe em Toronto, estamos em uma posição ideal para comercializar essas moléculas." AntierA Therapeutics, uma nova startup em Toronto, pegará os anticorpos e desenvolverá moléculas semelhantes a drogas para serem aplicadas na medicina regenerativa.

Os cientistas optaram por imitar as proteínas Wnt em vez de isolá-las

Os cientistas foram capazes de projetar os anticorpos para imitar as proteínas Wnt que normalmente instruem as células-tronco a formarem o tecido no embrião e também ativam as células-tronco para reparo de tecidos em adultos que sofreram uma lesão. Os cientistas há muito tentam usar o Wnt para ativar a regeneração de tecidos, mas enfrentam problemas devido à complicada composição química das proteínas Wnt.

Não ajuda que as proteínas Wnt se liguem aos lipídios, o que torna difícil isolá-los de uma forma ativa. Por tudo isso, a equipe de pesquisadores decidiu criar anticorpos que agem como Wnts combinando e ativando duas classes diferentes de receptores Wnt: Frizzled e LRP5 / 6. Os anticorpos podem ser criados para replicar qualquer uma das centenas de combinações possíveis do receptor Wnt.

"Esses organóides 3D têm grande potencial para pesquisa e descoberta de medicamentos, mas para cultivá-los você precisa de uma fonte de proteínas Wnt para ativar as células-tronco", disse Angers, cuja equipe apresentou as descobertas no início deste mês em uma eminente conferência de Gordon nos Estados Unidos "Agora temos uma proteína definida, que podemos obter facilmente em grandes quantidades e que pode suportar o crescimento de organóides de vários tecidos. "

A recém-criada startup AntierA já levantou fundos para desenvolver os anticorpos e está focada no desenvolvimento de tratamentos para perda de visão e doenças intestinais.


Assista o vídeo: Webinar ILSI Brasil: Importância do aleitamento materno nos tempos de COVID 19. (Junho 2022).


Comentários:

  1. Idrissa

    Você foi visitado com uma ideia notável

  2. Gadiel

    Obrigado pela ajuda nesta questão. Eu não sabia disso.

  3. Sheffield

    Sinto muito, mas, na minha opinião, eles estavam errados. Proponho discuti-lo. Escreva-me em PM.

  4. Eth

    Concordo com você, obrigado por sua ajuda neste assunto. Como sempre, tudo simplesmente brilhante.

  5. Galrajas

    Eu acho que você está cometendo um erro. Envie -me um email para PM, vamos conversar.

  6. Felkis

    Certamente. Eu concordo com tudo acima, por dito. Vamos examinar esta questão.

  7. Yuma

    Eu recomendo.

  8. Inazin

    As informações foram selecionadas com muito sucesso, quando será a atualização?

  9. India

    definitivamente, vamos entrar e ler!



Escreve uma mensagem